CANTO DE FRASSINO

Os meus horizontes são de Vida e de Esperança !

Textos

MEU BARCO FORTE
«Réplica ao “barco em ruínas” de José Félix»

“… O meu apetite são as palavras
E não o seu arquivo” disse o poeta
Considerando-as livres, mas escravas…
Replico eu, duma forma concreta
No meu estatuto de «barco forte»,
A este Arquivo de tão frágil recorte.

Arquivo? Oh, sim, mas ativo e vivo
Revelando-se um seguro Abrigo,
Em qu´ as palavras tenham incentivo
E se protejam do seu inimigo,
Que são os funestos e loucos ventos
Provocadores de áridos tormentos…

Palavras são, do poeta, pergaminho
Qu´ urge drasticamente preservar
Para qu´ elas não percam seu caminho
E possam o alvo ansiado alcançar.
A Viagem é bem longa e temerosa
Mas, com paixão, far-se-á auspiciosa.  

Eu, poeta – semeador me confesso
Nesta Viagem dura e estimulante –
Quero partir e, sem pensar em preço,
Procurarei recolher mais adiante…
Meu barco forte, a Nau da Poesia,
Tem esperança qu´ há-de chegar um dia.

“Barco em ruínas” esse nunca o serei –
Mesmo sabendo que todo o mar é bravo –
E as Palavras que eu transportarei
Delas jamais me considero escravo…
Antes, porém, irmão gémeo frugal
Intentando buscar o meu Graal.

De todo o poeta este é o belo Sonho,
Porventura com algum nevoeiro,
Urge, desta arte, ser Barco risonho
Que vai à proa, ousado timoneiro.
A alma rija habilita ao forte leme
E, frente ao medo, o Poeta nunca treme.

Meu frágil barco, caravela d´ arrepio
Vai corajosa contraventos e marés
E não receia este temeroso desafio
Nas sete voltas p´ la vida, de lés-a-lés…
Na minh´ mão o cálamo, no coração a chama
A divina Poesia ansiosa me reclama!

Frassino Machado
In RODA-VIVA POESIA
FRASSINO MACHADO
Enviado por FRASSINO MACHADO em 14/10/2020
Alterado em 23/02/2021


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras