CANTO DE FRASSINO

Os meus horizontes são de Vida e de Esperança !

Textos

BALADA DO POBRE
À memória de
Adriano

Sou pobre abandonado
Nas terras de Portugal
E o tesouro vai guardado
No forro do meu bornal.

Os sentidos se perderam
Em ventos de tempestade
E os sonhos desvaneceram
Em suspiros de saudade…

Ó sortes do meu passado,
Das curvas do mendigar,
Fazei-me regenerado
Para ao sonho regressar!

Sou pobre escravizado
Nas teias do meu país
E o futuro hipotecado    
Não tem húmus nem raiz.

A vida sem horizontes
Não me traz felicidade
Do alto daqueles montes
Quero ver a liberdade…

Ó sortes do meu passado,
Das curvas do mendigar,
Fazei-me regenerado
Para ao sonho regressar!

Frassino Machado
In FRAGMENTOS DE VIDA
FRASSINO MACHADO
Enviado por FRASSINO MACHADO em 26/10/2012
Alterado em 07/11/2012


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras