CANTO DE FRASSINO

Os meus horizontes são de Vida e de Esperança !

Meu Diário
24/10/2007 04h58
CARTA ABERTA SOBRE UM HOMEM BOM

ADRIANO CORREIA DE OLIVEIRA
                 ( 1942 – 1982 ) 

Caríssima Isabel Oliveira e familiares do 
Adriano Correia de Oliveira,
segui de perto - na Voz do Operário, em Lisboa - a justíssima homenagem que foi feita ao seu distinto pai, entre os dias 16 e 20 de Outubro. Pedi-lhe, se bem se recorda, que me autografasse um Livro sobre Adriano que acabava de sair nesse primeiro dia de homenagem – o dia do 25.º aniversário da sua morte.
Acho que ela foi mais que merecida mas, no meu entender, alguém pecou (talvez inconscientemente!?) por permitir que esta HOMENAGEM fosse instrumentalizada pela política inequivocamente hipócrita de uma "certa esquerda"! O seu pai, que era um homem íntegro, não merecia este desvirtuar das vontades de todos aqueles que sempre consideraram ADRIANO e a sua Obra como património de toda uma Nação! E há que se conseguir que esta "certa esquerda" se convença de uma vez por todas que os verdadeiros valores de um País e de uma Nação não têm cor, nem política, nem são apanágio de nenhum Partido convencional. Porque os Partidos e as pessoas que circunstancialmente os integram passam. Por outro lado, a Obra e o Homem - aqui refiro-me só a Adriano, que se destacou verdadeiramente de todos nós! - serão sempre intemporais e incorporais. A memória e o sentimento colectivo nacional compõem, em si mesmos, uma ALMA... e esta jamais poderá ser apropriada por ninguém em particular.
Adriano Correia de Oliveira é, pura e simplesmente património de todos nós portugueses e a sua Obra perdurará para sempre nas futuras gerações.
Eu fiquei triste naquela noite de sábado quando, no meio da multidão, que enchia por completo o velho salão da Voz do Operário, a dada altura uma voz de uma senhora de idade avançada que ali estava cheia de uma «comoção incontida» exclamou: "eu nunca pensei vir aqui assistir a um Comício... pobre Adriano!".
Peço que me desculpe este meu espontâneo protesto. Eu também senti, sim, que a merecida Homenagem estava sendo atraiçoada!
Cumprimentos para si e para todos os verdadeiros amantes da Arte e da Cultura Portuguesas. O poetAmigo sempre


Frassino Machado


Publicado por FRASSINO MACHADO em 24/10/2007 às 04h58

Site do Escritor criado por Recanto das Letras