CANTO DE FRASSINO

Os meus horizontes são de Vida e de Esperança !

Textos

1640 - A GRANDE AVENTURA
«Trovas da Restauração»

- E já lá vão sessenta anos
Em que este triste Portugal
É governado por tiranos
E a vida a todos corre mal!

O povo está farto de tiranias
E é grandemente explorado
Com impostos e malfeitorias
P´ los reis Filipes dominado.

- Eles não são da nossa Pátria
Desprezam os nossos heróis
E, para cúmulo da angústia,
Querem-nos fazer espanhóis!

O sonho da independência
Nasceu na alma dos portugueses
E começaram, com paciência,
A preparar os entremezes.

Uniram-se alguns conjurados,
Pensando numa força maior
Que os fizesse ser libertados
Da sua escravidão e dor.

Ano mil seiscentos e quarenta
No nobre Palácio de dom Antão
Ali se preparou a ferramenta
P´ ra libertar a pobre Nação.

Pinto Ribeiro e companheiros,
Que, por acaso, eram quarenta,
Corpo e alma de aventureiros
Juraram acabar co´ a tormenta.

Em Dezembro, no dia primeiro,
Numa manhãzinha radiosa,
Foram à praça do Terreiro
Prender a Duquesa vergonhosa.

- Onde ides, fidalgos, tão apressados
Com vossas estranhas feições?
- Vamos retirar os desavergonhados
Daquele antro vil de ladrões!

Cercaram o Palácio do crime,
Mataram Miguel de Vasconcelos
A golpes de espada e mão firme,
E arrastaram a dita pelos cabelos.

- Ó Mântua, que já estás a mais,
Assina aqui esta concordata,
Porque, se não, por esta janela sais
E o povoléu logo de ti trata!

Humilhada, a Duquesa assinou
De imediato, e sem condições.
E assim Portugal encontrou
A justiça para as suas razões…

O sol brilhou, brilhou a esperança,
E aqueles heróis, com este plano,
Tornaram Dom João de Bragança
Como Rei restaurador soberano.

E foi com esta Grande Aventura,
Que a Restauração, de boa memória,
Salvou a Pátria e a cultura
Dignificando a Lusa História!

Frassino Machado
In TROVAS DO QUOTIDIANO
FRASSINO MACHADO
Enviado por FRASSINO MACHADO em 30/11/2019


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras