CANTO DE FRASSINO

Os meus horizontes são de Vida e de Esperança !

Textos

À CONQUISTA DO MUNDO 04
IV – Dos factos

Se um verso, quando só, azeda muita gente
Mais que um verso, por certo, azeda muito mais;
E se uma quadra, para alguém, já é demais
Que fará um poema qu´ o é mais abrangente?

Se um só “soneto acrescentado” é delinquente
Por ter catorze versos ou um pouco mais;
E se houver outros poemas ditos “informais”
Rasgam-se impropérios à poesia repelente…

Se um epigrama ou uma ode já é uma seca
E uma perda de tempo, além dum desconcerto;
Que fará uma elegia ou qualquer excerto
Que conduza a Epopeia entre Seca e Meca?

Se um verso é solto ou branco – o que tanto faz –  
Ou s´ é um dístico ou trístico, ou sei lá o quê;
Que fará um haicai, que em poema se não revê,
Crescendo ao deus d´ Ará rebelde e contumaz…  

Poeta que te crês, vai por aí de rua em rua,
Leva a tua bandeira, leva o teu troféu;
Percorre todo esse mundo, desde a terra ao céu,
E terás, como triunfo, a «glória» sempre tua!

Frassino Machado
In ODISSEIA DA ALMA
FRASSINO MACHADO
Enviado por FRASSINO MACHADO em 25/10/2017
Alterado em 25/10/2017


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras